bairros guia-de-compra facebook linkedin twitter youtube Instagram Google Plus pinterest foursquare Tecnisa Ideias Snapchat Blog fastdating Atendimento por email Agende uma visita Globo Bitcoin Aplicativos Tecnisa Slideshare Lupa Dormitorios Metragem Pronto Para Morar Imoveis Proximos Em Obras Lancamento Lancamento Lancamento balao24horas Ligue Agora Video Atendimento Ligamos para você Tour virtual Planta 3D Ampliar Diminuir Planta Atendimento online Atendimento Online 2 Whatsapp whatsapp 2 Martelo Escavação Fundação Estrutura Alvenaria Acabamento Externo Acabamento Interno Valores Produto Blog Produto Guia de Compra de Imóvel Localização Galerias Sobre imovel Pin localizaão Compartilhar Impressora imprimir Download PDF Vendido Comercial Download Seta direita Terreno Microfone Endereços Mãos Pessoas Maleta Chave Chave 2 Farmacias academias bancos ensino hospital padarias shopping supermercados RSS conforto conveniencia lazer seguranca sustentabilidade numeros projetos metro pin-mapa Android Apple Imprimir Tudo Comprador Link Externo tecnologia acessibilidade exclusividade corretor Sem resultados Pesquisas populares Ano Novo Presente Aviso Chaves Formulario Relogio home plano diretor enlarge shrink enlarge2 shrink2 tenis yoga violao litoral binoquio lupa + dinheiro cabeça + dinheiro sauna bike churrasqueira petcare bola saude playground gourmet salaofestas cinema pizza
Expandir Menu

Selecione um ou mais campos e refine sua busca.

Buscar
Você está em: Woodbridge

Imprensa e Comunicação

Barra Funda ganha bairro planejado

Barra Funda ganha bairro planejado

Barra Funda ganha "bairro" planejado

Terreno equivalente a 25 quarteirões terá ruas abertas, 30 torres com apartamentos de até 270 m², praça e lojas

Valor geral de venda é estimado em R$ 4 bi; Tecnisa e PDG iniciam obras de infraestrutura na área nesta semana

DE SÃO PAULO

Um terreno de 250.000 m² (o equivalente a 25 quarteirões) recebe investimentos para virar um "bairro" planejado na região da Barra Funda (zona oeste de São Paulo). As construtoras donas da área e responsáveis pela obra --Tecnisa (com 75%) e PDG (25%)-- começam, nesta semana, os trabalhos de infraestrutura para sistemas de água, luz, esgoto, telefone e a abertura de vias.

As companhias não revelam quanto vai ser aplicado no empreendimento nem quais serão as fontes dos recursos, mas o VGV (valor geral de venda) está estimado em R$ 4 bilhões. Serão 14 ruas e duas avenidas, abertas ao tráfego, e 30 lotes de tamanhos entre 3.000 m² e 10.000 m². Alguns desses lotes poderão ser unificados, conforme o caso.

 

O projeto prevê a construção de cerca de 30 torres residenciais, com apartamentos de 90 m² a 270 m², duas torres comerciais e um centro para lojas de conveniência, além de praça de 50.000 m² (ou cinco quarteirões), que será doada à prefeitura e aberta ao público.

"As licenças para as obras de infraestrutura nós já temos, mas o processo para as demais autorizações, para os lançamentos imobiliários, só ocorre a partir do ano que vem, com os lotes já registrados", diz Fabio Villas Bôas, diretor-executivo técnico da Tecnisa.

O terreno, margeado pelas avenidas Marquês de São Vicente, Nicolas Boer e Gustav Willi Borghoff, que foi comprado da Telefônica pela Tecnisa, em 2007, por R$ 133 milhões, está orçado em R$ 700 milhões --reflexo do boom imobiliário paulistano.

O preço médio de venda do m² de terrenos na Barra Funda saltou de R$ 600, em 2006, para R$ 3.500 neste ano, segundo dados da Herzog Imóveis Industriais e Comerciais. O valor do m² novo de apartamentos no bairro também subiu cerca de 25% nos últimos 12 meses, para R$ 6.000.

Apesar da alta, o preço ainda é mais baixo do que os praticados em bairros próximos, como Perdizes.

 

"A demanda por imóveis residenciais na Barra Funda está aumentando; o morador tem os mesmos benefícios de localização e infraestrutura de transporte que nos bairros vizinhos, mas a preços menores", diz Villas Bôas.

ESPAÇO PÚBLICO

O arquiteto Hélio Mítica Neto, do escritório Terra Urbanismo e um dos responsáveis pelo projeto, diz que "o grande legado é a qualidade do espaço público" proposta no empreendimento.

A praça de 50.000 m², aberta à população, vai comunicar a Marquês de São Vicente com outras vias de acesso ao "novo bairro".

Todos os prédios serão construídos de frente para essa praça, com distância de cerca de 40 metros entre um e outro, e terão recuo extra a partir da rua. As calçadas também serão largas e bem iluminadas.

"Acredito que a melhor estratégia de segurança seja a utilização contínua do espaço público e queremos estimular isso", diz Mítica Neto.

< Voltar para Notícias

Outras notícias