Dicas práticas de manutenção de piscina: curta o verão!

É maravilhoso poder recorrer a um banho de piscina no calor do verão. Mas este prazer tem um preço, que é a manutenção constante. Saiba mais!

10 de fevereiro de 2021

Na hora que chega o calorão, a única coisa que nos vêm à cabeça são as diferentes tentativas que podemos fazer para nos refrescar. E uma que está sempre presente em nossa lista é a utilização de piscinas

Agora, imagina que surpresa desagradável, ter este equipamento em casa e não poder aproveitá-lo no momento em que se deseja por uma simples questão de falta de manutenção. É que a água da piscina precisa ser sempre limpa.

No texto a seguir, vamos conversar um pouco sobre como são realizadas as manutenções básicas de piscinas. 

Também quais os produtos e acessórios mais comuns que servem para isto; e se há alternativas mais fáceis, sem que precisemos recorrer à consulta de um especialista. Continue lendo para descobrir.

Studio Clariça Lima

Passo a passo para limpeza de piscinas com cloro

Sempre que visitamos um parque aquático, sentimos aquele cheirinho típico de cloro. É tanta química que até chega a descolorir cabelos tingidos; e isto é algo que assusta muita gente. 

Porém, trata-se realmente da forma mais comum utilizada para tratamento de piscinas públicas. Fórmula semelhante, portanto, pode ser repetida em piscinas de residências, porém em doses menores.

Todo este processo foi definido por especialistas para evitar que, nas águas paradas das piscinas, não haja condições para a proliferação de certos organismos, como as algas. 

São eles mesmos que dão aquele aspecto verde – algo que se agrava em épocas de clima quente. Sabe-se, hoje, que a utilização da combinação dos produtos químicos certos deve amenizar o problema.

Aquiles Nicolas Kílaris
Aquiles Nicolas Kílaris

O cloro certamente está no topo desta lista, e deve ser aplicado às piscinas de acordo como é instruído pelos fabricantes nas embalagens. 

Também há o algicida, que servirá para matar os microrganismos – devendo ser utilizado a cada uma ou duas semanas.  E de vez em quando, será preciso ligar o motor para também filtrar a água. Se necessário, utiliza-se um decantador para que a sujeira caia no fundo da piscina e possa ser, assim, aspirada.

No dia-a-dia, toda e qualquer folha ou inseto que caia e fique boiando na água da piscina deve ser retirado com a ajuda de uma cestinha. Uma pequena pastilha de cloro pode ser mantida em uma boia especial – chamada de “marreca”. 

Ela ajudará a manter os níveis ideais de cloro. Mas para saber se tudo isto está certo, você deverá fazer um teste, a ‘avaliação de ph e de alcalinidade’ – medido por kits vendidos até em supermercados.

Claudia Comparin
Gislene Lopes

Dicas para manutenção periódica de piscinas

Seria interessante que pelo menos uma vez ao dia o motor da sua piscina  de casa fosse ligado; esta operação pode reforçar o processo de tratamento. Ao realizar a filtragem da piscina, o motor movimenta a água e faz a troca do oxigênio. 

Porém, pode acontecer de sobrecarregar a máquina. Por isso, é recomendado chamar um especialista a cada trimestre para avaliar as condições deste filtro.

Durante o inverno, não será necessário levar tantas vezes o motor ou mesmo colocar tantas vezes o cloro e produtos de apoio – como o algicida – na água. Porém, a mesma ainda continuará sujando – e talvez até mais, por conta do cair das folhas das árvores. 

Neste caso, seria bom manter a piscina coberta com uma lona especial, que barra a entrada da sujeira e dos insetos, mas permite ainda a troca de oxigênio.

É possível também que, neste período, muita matéria orgânica fique boiando e possa manchar as laterais da piscina. 

Então, no verão, pode-se aproveitar o momento dentro da água para realizar uma atividade importante, que é a da limpeza deste material – o que deverá ser feito com uma esponja bem macia. Ao menor sinal de trincas ou falta de rejunte – se a piscina for de azulejo -, deve-se chamar um especialista em estruturas.

Aquiles Nicolas Kílaris
Alexandre Ferraz de Oliveira

Solução para o tratamento de piscinas sem cloro

Muitos não sabem, mas existe uma lei nacional que obriga pelo menos as piscinas públicas a serem tratadas com cloro. Mas a própria norma brasileira, em certo momento, admite que o tratamento químico não seja a única solução possível. 

Existem, por exemplo, as biopiscinas – mais conhecidas na Europa -, que utilizam um processo natural para o tratamento da água.

Sua estrutura é um pouco diferente de tudo que estamos acostumados a ver nos projetos de arquitetura, mais parecendo um lago artificial. 

E ao seu redor são colocadas plantas aquáticas regenerativas, que, além de fazerem ornamentação, ajudam no processo de purificação da água da piscina. É mais uma possibilidade que você pode considerar, mesmo exigindo muito mais manutenção.

Studio MK27

As biopiscinas podem até ser mais simples de construir – embora necessitem de melhor impermeabilização e, às vezes, uma drenagem. 

Contudo, você deverá entender um pouco de botânica para saber que plantas irão mesmo ser bons filtros biológicos. Mas, aqui, já te apresentamos algumas sugestões: alface-d’água, aguapé, chapéu-de-couro, taboa, papiro, mururé e ninféia.

Iara Kilaris

Pronto, agora você pode curtir seu verão com uma piscina limpinha!

Essas dicas para a manutenção da piscina foram criadas pela equipe Viva Decora.