Dica de sobrevivência doméstica

Casa nova, vida nova. Mas, para que tudo permaneça novo ou em perfeito funcionamento, você vai precisar de um kit de sobrevivência doméstica. Muitas pessoas estreantes em um novo lar esquecem da importância da boa e velha caixa de ferramentas. É nela que você encontrará a salvação para quase todos os pequenos dramas domésticos. Uma… Ver artigo

7 de outubro de 2009

10

Casa nova, vida nova. Mas, para que tudo permaneça novo ou em perfeito funcionamento, você vai precisar de um kit de sobrevivência doméstica. Muitas pessoas estreantes em um novo lar esquecem da importância da boa e velha caixa de ferramentas. É nela que você encontrará a salvação para quase todos os pequenos dramas domésticos. Uma boa caixinha deve conter as ferramentas básicas e também peças de reposição – nunca se sabe quando uma lâmpada vai resolver queimar, o que geralmente acontece nos piores momentos…

Para facilitar a organização da sua caixinha, listo abaixo alguns básicos indispensáveis:

Martelo, pregos, parafusos e buchas em tamanhos variados, furadeira sem fio, parafusadeira, trena, alicate (pequeno e grande), chave inglesa e chaves de fenda (um bom kit com pontas de tamanhos diferentes resolve qualquer problema).

No kit de acessórios salvadores do lar entram:

Fita isolante, lâmpadas sortidas, extensões, tomadas sobressalentes, produtos do tipo WD-40, cordinhas para o varal, que sempre arrebentam nos piores momentos; benjamins (muitos!), pilhas (de preferência recarregáveis), cola branca, cola de madeira, fita veda rosca (para torneiras que resolvem vazar fora de hora), refil de protetores elétricos contra insetos e um cartão com o telefone do encanador e do eletricista mais próximos – que deve ser mantido na porta da geladeira, para eventuais emergências.

Meu avô, precavido como era, tinha o hábito de sempre comprar mais de uma peça-chave para a casa, mesmo que ela ainda estivesse ótima. A regra valia para quase tudo, de dobradiças a espelhos de luz. Se o produto avistado na lojinha do bairro fosse novidade então, levava logo duas, só por garantia. O resultado dessa fissura pela manutenção doméstica resultou numa caixinha dos milagres, que ficava guardada na garagem, a espera do primeiro desesperado em busca de uma lâmpada nova ou de um par de pilhas para o rádio da cozinha. Era uma loucura a tal caixinha! A ponto de eu não me lembrar de nada procurado por alguém em seu interior que não tenha sido encontrado. Montar a sua própria caixinha, portanto, me parece uma ótima idéia!

Chris Campos é jornalista e escritora, criadora do site Casa da Chris (http://casadachris.uol.com.br/blog/) e autora dos livros “Casa da Chris” (Editora Record), “Assim te Conquistei” (Versar) e “Almanaque das Festas Instantâneas (Memória Visual)