Controle as crianças no condomínio

A presença de crianças e adolescentes é comum em todos os condomínios, e muitas vezes eles são a causa de desentendimentos entre pais, moradores e síndicos – essa faixa etária concentra muita energia, e muitas vezes é difícil explicar e fazer cumprir as regras de convivência estabelecidas para o bom relacionamento entre os vizinhos. Porém,… Ver artigo

29 de março de 2010

A presença de crianças e adolescentes é comum em todos os condomínios, e muitas vezes eles são a causa de desentendimentos entre pais, moradores e síndicos – essa faixa etária concentra muita energia, e muitas vezes é difícil explicar e fazer cumprir as regras de convivência estabelecidas para o bom relacionamento entre os vizinhos. Porém, sempre há maneiras de tentar prevenir e controlar esses eventuais problemas.

Para ajudar nessa tarefa, os profissionais da Itambé, administradora de condomínios com cerca de 23 mil imóveis em sua carteira, prepararam uma lista de dicas úteis para serem utilizadas nesses casos:

– Discuta com o síndico sobre a possibilidade de promover rotinas e atividades constantes voltadas aos jovens. Organize um conselho mirim, para que se envolvam em atividades que sejam de interesses deles, como jogos, brincadeiras e gincanas. Vale lembrar que os integrantes devem ser sempre supervisionados por adultos.

– Ofereça prêmios aos vencedores desses jogos. Nessa faixa etária, eles adoram ganhar presentes. Pode ser desde algo simples até algo mais elaborado – depende da imaginação e da disponibilidade financeira.

– Troque de lugar com eles. Organize um “esconde-esconde” entre os veteranos nas áreas comuns do condomínio. Dessa vez, deixe que os menores fiscalizem. Além de ser diversão garantida, aproxima os moradores e promove uma maior integração.

– Se o problema é no elevador, defina regras para aqueles que se aventuram no equipamento apertando todos os botões. Se o elevador ainda não tem câmera de segurança, adote o sistema e comece a fiscalizar. Aquele que for “pego no pulo” não pode participar das brincadeiras e gincanas durante prazo determinado.

– Também estabeleça regras de uso da piscina e do salão de festas e jogos, áreas também normalmente muito freqüentadas prelos jovens, e aja da mesma forma, com restrições e punição em casos de infração.

– Se algum item de uso comunitário sofrer algum dano, converse com os pais e sugira que o infrator ofereça algo em troca do prejuízo. Dessa maneira, o fato de os pais pagarem a dívida comprando um produto novo, não quer dizer que a criança ou adolescente não será punido.

– Estabeleça punições que elevem a conscientização dos jovens. Plantar árvores no bairro ou retirar o lixo do apartamento e levá-lo até a lixeira comum são algumas ideias que funcionam. Vale lembrar que as punições devem ser de acordo com a idade de cada um.

– Conversar é sempre a melhor saída, entre todos os envolvidos – crianças, moradores e membros da administração do condomínio. A calma é essencial para a resolução dos problemas.