Vale a pena comprar um imóvel na planta?

Como já sabem, pesquisei muito sobre a compra do meu primeiro imóvel. Pesquisei opções prontas para morar e também apartamentos em fase de construção. Para quem não tem necessidade de mudança imediata, o imóvel na planta é uma boa opção de investimento. Veja:

15/01/2019

Comprar um imóvel na planta pode ser um ótimo negócio para quem deseja realizar um investimento imobiliário ou para quem está em busca de moradia futura e não tem pressa para sair do local onde mora atualmente.

Uma das vantagens desse tipo de negociação está diretamente ligada ao valor do imóvel. O preço no ato da compra pode ser de 20% a 40% menor do que o cobrado após a obra finalizada, dependendo da negociação. Além disso, as construtoras costumam ser mais flexíveis nesses casos, permitindo o parcelamento da entrada e ajustando os valores intermediários de acordo com a necessidade do comprador.

Outra vantagem financeira é que, enquanto você não receber as chaves, não terá que arcar com despesas como condomínio e IPTU. Pagar as parcelas sem ter despesas extras permite maior controle sobre os gastos. Por isso, o planejamento financeiro é fundamental na hora de adquirir um imóvel.

Se você está de olho na valorização do imóvel, saiba que ela acontece ao longo dos anos e, na maioria das vezes, é atrelada não apenas ao imóvel em si mas a um conjunto de fatores. Por isso, é muito importante avaliar a infraestrutura do bairro, como facilidade de transporte, comércio e serviços na região, além de perfil da vizinhança. Morar em um bairro agitado e muito frequentado por jovens pode não ser o ideal para quem quer sossego e tranquilidade, por exemplo.

Cuidados

Um dos maiores medos de quem compra um imóvel na planta é a obra não ser concluída. Por isso, o principal cuidado que você deve ter ao comprar um imóvel na planta é avaliar quem irá realizar a obra. Pesquise se a construtora possui certificados de qualidade, se há histórico de atrasos de obra e se não há nenhum problema que impeça a construção.

O ideal é ir até o Cartório de Registro de Imóveis, para conferir se a incorporação do empreendimento foi devidamente registrada, se o imóvel não está hipotecado e se as plantas, as áreas e metragem do imóvel estão de acordo com a aprovação da Prefeitura do Município.

Tenha uma reserva de emergência para estar seguro em caso de atraso das obras, mesmo com todo cuidado na hora de escolher a construtora, imprevistos podem acontecer. Atrasos de até 180 dias geralmente estão previstos em contrato – eles podem não acontecer, mas você precisa estar preparado para pagar mais alguns meses de aluguel, se for o caso.

Falando em valores, lembre-se que além das parcelas você deve se programar para o pagamento dos montantes intermediários e também quitar o imóvel após a entrega das chaves (você pode quitar totalmente ou financiar). Quanto menor for a parcela no início, maior será o montante a pagar após a conclusão das obras, pois as parcelas sofrem correção do Índice Nacional da Construção Civil (INCC). Então, se puder, avalie a possibilidade de pagar um pouco mais no início para ter maior controle do orçamento no final.

Outro ponto importante na hora da compra do imóvel é avaliar o memorial descritivo da obra, para evitar dor de cabeça após a mudança. Preste atenção na qualidade dos materiais e dos equipamentos que serão usados tanto na área privativa quanto nas áreas comuns. Um empreendimento novo não precisa de reforma, a não ser que você queira realmente mudar. Se houver a necessidade de refazer parte da obra, alguma coisa está errada.  

Guarde uma cópia do memorial descritivo do empreendimento, nele estão todos os dados técnicos da obra, além de toda a documentação referente à compra, caso haja necessidade de consultar ou comprovar alguma mudança.

Para saber mais detalhes sobre como funciona a compra de um imóvel na planta e os detalhes do financiamento, acesse o Guia de Compras da Tecnisa.