Taxas de juros menores: é hora de investir em imóveis?

Entenda como a redução da taxa Selic impacta o mercado imobiliário e saiba se agora é um bom período para investir.

20 de novembro de 2019

Acompanhar a taxa Selic é fundamental para compreender o mercado imobiliário e fazer bons investimentos. Se você, assim como eu, procura as melhores oportunidades para o fazer negócio, precisa entender as consequências da redução das taxas de juros para esse mercado brasileiro. Neste artigo, é sobre isso que vou falar com você.

Em setembro de 2019, o Comitê de Política Monetária Nacional (Copom) anunciou a redução da taxa básica de juros do Sistema Especial de Liquidação e Custódia — a famosa Taxa Selic —, de 5,5% para 5% ao ano. A decisão leva a Selic ao seu menor percentual desde 1999, mas a previsão é que um novo corte seja feito na próxima reunião do Comitê.

Essa redução, embora possa parecer negativa em um primeiro momento, promete trazer impactos positivos para o mercado imobiliário. Com os juros mais baixos, fazer um financiamento, por exemplo, pode se tornar mais vantajoso.

Homem mexendo no celular

Será que agora é o momento ideal para investir na compra de imóveis? Leia este artigo e entenda como a queda na taxa de juros afeta o mercado imobiliário.

Entenda a redução da Taxa Selic

A Taxa Selic é a principal referência para as taxas de juros no Brasil. Por isso, ela é usada pelo governo para controlar a inflação. Quando os juros aumentam, as pessoas acabam comprando menos, e isso obriga o mercado a reduzir preços para manter o consumo. Com a queda nas vendas, a inflação também diminui.

Por outro lado, a redução da taxa é comum quando a inflação está controlada. Isso acontece porque tornar o crédito mais barato facilita financiamentos e compras a prazo, estimulando o consumo e permitindo o aumento dos preços. Segundo o Copom, o cenário econômico atual é positivo para o controle da inflação, por isso é que o ajuste de 0,5% foi feito.

O corte na Selic não é refletido nos juros instantaneamente, mas estimula as instituições financeiras a seguirem esse curso. Quando há um corte e grandes bancos, como Itaú, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, reduzem suas taxas para linhas de crédito, os bancos concorrentes também se movimentam para diminuir os seus juros e não perder oportunidades para a concorrência.

No mercado imobiliário, a Caixa Econômica é a instituição que tem mais poder para pressionar as demais. As suas decisões impactam em todas as outras organizações — inclusive as fintechs —, que reduzem taxas para entrar em competição.

Saiba mais lendo o artigo: O que é taxa Selic e como ela afeta o mercado imobiliário?

Como a redução dos juros afeta a compra de um imóvel

Basicamente, as variações na taxa Selic podem alterar o valor final de um imóvel. Os financiamentos, por exemplo, tendem a ficar mais caros quando a Selic aumenta. Se os juros das parcelas aumentam, as pessoas ficam mais inseguras para fazer investimentos e o preço dos imóveis cai. 

Quando a taxa está mais baixa acontece o oposto: os juros diminuem e o número de transações aumenta, aquecendo o mercado. Nesse contexto, os bens são mais valorizados e podem ser vendidos a preços maiores.

Nos últimos três anos, a Selic foi de 14,25% para 5,5% ao ano, o que indica um cenário favorável para investir no mercado imobiliário. Em 2017, o crédito para a habitação tinha uma taxa de quase 11% ao ano e, em 2019, essa taxa foi reduzida para aproximadamente 8,4%. Esses números são baseados em informações dos contratos dos cinco principais bancos, segundo a fintech Melhortaxa. 

O que observar antes de fazer um financiamento

Você já sabe que a redução da taxa Selic pode ser bastante vantajosa para quem pretende comprar um imóvel. No entanto, antes de fazer um financiamento é importante estudar o seu potencial de valorização. Para isso é preciso prestar atenção em alguns fatores, como o tipo de imóvel — casa, apartamento, se terá um espaço reduzido ou será mais amplo —, o bairro em que ele está, e se há opções de lazer ou serviços de conveniência.

Saiba como descobrir o potencial de valorização de um imóvel.

Como você aprendeu neste artigo, a redução da Taxa Selic provoca a queda de todas as outras taxas de juros, resultando em preços menores para quem pretende financiar um imóvel. A decisão do Copom, portanto, tende a gerar o aumento da procura por imóveis e, consequentemente, a valorização dos preços desses bens.

Quer aproveitar o momento e começar a investir nesse mercado? Leia o artigo: 4 dicas para começar a investir em imóveis!