O que é taxa Selic e como ela afeta o mercado imobiliário?

Entenda como funciona a taxa básica de juros e saiba como ela pode afetar juros, créditos e o preço final de imóveis.

16 de julho de 2019

Para empreender com confiança e segurança estudo bastante regras, impostos e taxas. A Taxa Selic, referência para todas as taxas de juros de nosso país, pode trazer grandes impactos ao mercado imobiliário. Por isso, vou dividir o que aprendi sobre ela com você.

A Taxa Selic, também conhecida como taxa básica de juros, é referência para toda a economia do país. Ela influencia diretamente todas as taxas de juros do Brasil, afetando diversos setores da economia. Assim, se a taxa aumenta ou abaixa, outros índices podem variar.

Apesar de ser um dos indicadores econômicos mais importantes do mercado brasileiro, muitas pessoas não sabem o que é essa taxa. Para quem investe em imóveis, porém, é fundamental compreender esse instrumento da política monetária, já que variações na Selic podem alterar o valor final dos imóveis.

pessoas em uma reunião

Neste artigo, entenda o que é a Selic, como ela funciona e como afeta o mercado imobiliário. Antes, porém, é fundamental compreender o que é o sistema Selic. Boa leitura!

Conheça o sistema Selic

O termo Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Ele é um sistema utilizado pelo Banco Central (BC) para registrar as operações que envolvem os títulos do Tesouro Nacional. Veja um exemplo a seguir.

Diariamente, muitas pessoas fazem depósitos e saques. Ao final do dia, os bancos devem ter um valor mínimo em caixa. Esse valor é estipulado pelo Banco Central para controlar o volume de dinheiro em circulação e, consequentemente, a inflação. Por isso, dependendo da movimentação pode ser que um banco precise pegar um empréstimo de um dia com outro banco.

Os bancos devolvem o valor com juros e oferecem como garantia títulos do governo. Todas essas operações ficam registradas no Selic. Ou seja, ele é um sistema computadorizado que permite ao Governo Federal controlar a emissão, a compra e a venda de títulos do Tesouro Nacional. A Taxa Selic, por sua vez, é a taxa usada para calcular os juros das operações que envolvem os títulos. Saiba mais sobre ela a seguir.

Saiba o que é Taxa Selic

Como você já sabe, é a partir da Taxa Selic que os juros da venda de títulos do Tesouro Nacional são calculados. A cada 45 dias o Comitê de Política Monetária do Banco Central, COPOM, se reúne para definir uma meta para essa taxa — chamada de Selic Meta. A decisão leva em conta fatores como a taxa de câmbio, o nível de inflação, de atividade econômica e a taxa de juros externa. 

A Selic Meta é diferente da taxa que realmente vemos no mercado, que é a Selic Over. A selic Over é calculada a partir da média ponderada de todas as transações que envolvem títulos públicos registradas no sistema SELIC. Ela é definida diariamente.

Entenda como funciona a Taxa Selic

Para alcançar a Meta Selic o Banco Central passa a comprar ou vender títulos públicos para influenciar o mercado e gerar uma nova taxa. Por exemplo, para aumentar a taxa de juros é preciso baixar o valor dos títulos para que mais pessoas os comprem. Assim, o Banco Central passa a ofertar mais títulos. Porém, se ele quiser diminuir a taxa é preciso comprar títulos para diminuir a sua demanda e provocar o aumento do preço.

Em 2019, a Selic Meta definida pelo COPOM foi de 6,5% ao ano. No entanto, a Selic Over sofre alterações constantes, ficando um pouco abaixo ou acima da meta. Esses valores podem ser consultados em uma tabela no site da Receita Federal. 

Conheça os impactos no mercado imobiliário

Agora você já entende o que é a Taxa Selic e sabe a diferença entre a Selic Meta, divulgada pelo COPOM, e a Selic Over, taxa que se efetivou. Mas como os juros básicos influenciam o mercado imobiliário?

A Taxa Selic, por ser a principal referência para as taxas de juros no Brasil, também é usada pelo governo para controlar a inflação. Imagine que a inflação está alta. Nesse caso, o Banco central pode aumentar a taxa, provocando o aumento dos juros do mercado e tornando o crédito mais caro para as pessoas. Dessa forma, o consumo diminui, os preços tendem a cair e a inflação também.

Por outro lado, quando a inflação está baixa o governo costuma reduzir a taxa Selic. A ideia é tornar o crédito mais barato, estimulando o consumo por meio de financiamentos e compras a prazo, por exemplo. Assim, a demanda por produtos e serviços aumenta, elevando também os preços.

A variação dos juros pode trazer diversos impactos ao mercado imobiliário. Para o comprador, o preço final do imóvel, os juros e a quantidade de crédito disponível podem variar. Veja como esses fatores podem sofrer alterações no próximo tópico.

Leia também: Cinco coisas que ninguém te conta sobre financiar um imóvel.

Preço final dos imóveis

Como mencionado, quando a taxa aumenta os juros ficam mais caros para as pessoas. Assim, a variação da Taxa Selic também altera o valor dos imóveis. Ou seja, quem deseja comprar uma casa financiada, por exemplo, precisa se preparar para um reajuste nas parcelas. Quem já adquiriu uma moradia com financiamento também deve ter atenção, pois sofrerá um reajuste nas parcelas por causa dos juros.

Por outro lado, quando a SELIC está baixa fazer um financiamento se torna mais vantajoso. Isso acontece porque as instituições financeiras baixam as taxas de juros — o que diminui o valor das parcelas do imóvel. 

Procura por imóveis

Se os juros aumentam, as pessoas ficam receosas quando o assunto é fazer um financiamento. Isso acontece por que o cenário se torna mais instável. Portanto, fechar um negócio que envolve parcelas maiores, no longo prazo, acaba pesando mais no orçamento.

Assim, se muitos clientes desistirem de fechar negócio a procura pelos imóveis diminui consideravelmente. Para o mercado imobiliário, a baixa procura pode trazer consequências bastante negativas, causando a interrupção de empreendimentos que já estão em andamento e trazendo prejuízos para as empresas.

Se a Selic estiver em decréscimo a história é outra. Como você deve imaginar, os juros diminuem, as parcelas ficam mais baratas e o interesse por adquirir um imóvel aumenta. Nesse cenário os compradores se sentem mais confiantes para fazer um financiamento e as empresas conseguem impulsionar as suas obras, além de fazer mais vendas.

Aluguel

A Taxa Selic não provoca alterações apenas no valor de compra e venda dos imóveis. A taxa de juros afeta todo o mercado imobiliário. Portanto, se a taxa estiver mais alta ou mais baixa, o valor dos aluguéis também é alterado. Se a Selic estiver baixa, por exemplo, os valores para locação também ficam menores. Consequentemente, mais pessoas procuram imóveis para alugar.

Como você viu, a Taxa SELIC pode prejudicar ou ajudar a movimentar o mercado imobiliário, tornando a compra de moradias mais difícil ou mais vantajosa. Quando a taxa está baixa, a procura pelos imóveis é maior, há mais transações e as empresas conseguem produzir mais.

Alugar ou comprar um imóvel: qual é a melhor opção de investimento?

Saiba mais sobre investimentos e juros

Acompanhar a Taxa SELIC é fundamental para se planejar e saber como conduzir os seus investimentos imobiliários. Apesar de já compreendê-la, ainda há muitas informações sobre investimentos e juros que podem ajudar você a empreender com mais segurança. 

Na era da internet, diversos sites, blogs e canais disponibilizam informações relevantes sem nenhum custo. No Youtube, por exemplo, há canais que falam especificamente sobre o mercado financeiro, como o Me poupe!, apresentado pela jornalista e educadora Nathália Arcuri, e O Primo Rico, do educador financeiro Thiago Nigro.

Neste artigo você entendeu o que é Taxa Selic, como ela funciona, como é calculada e quais são os seus impactos no mercado imobiliário. Quer aprender mais sobre como comprar um imóvel? Leia o Guia de Compra da Tecnisa, e se prepare para investir com mais tranquilidade e segurança.