Existe apartamento sem condomínio? Funciona mesmo?

Entenda como funciona um apartamento sem condomínio e as vantagens de morar em um imóvel com taxa fixa. Descubra qual a melhor opção para você!

13 de março de 2019

Sempre busco o melhor para mim e para minha família. Por isso, fiquei intrigada quando ouvi falar de apartamento sem condomínio. Será que é seguro? Seria uma boa opção? É custo zero mesmo?

Pensar em um apartamento sem condomínio não é algo muito usual para a maioria das pessoas. Mas hoje já existem empreendimentos com essa proposta, apesar do “sem condomínio” não significar que você não vai ter custo nenhum.

Neste post vamos explicar como funciona a estrutura de um apartamento sem condomínio e o que um imóvel com essa taxa fixa agrega no dia a dia da família.

Como funciona um apartamento sem condomínio

A primeira premissa dos empreendimentos com apartamento sem condomínio é que são prédios pequenos – com dois ou três andares – e dois ou mais apartamentos por andar. Os apartamentos de cima, geralmente, tem cobertura ou um solarium que serve como área externa.

A fachada lembra mais uma pequena casa, tirando aquela ideia de condomínio padrão, enorme, cheio de moradores e opções de lazer e serviços.

O preço de venda de um apartamento sem condomínio nem sempre é menor como poderia se esperar pela estrutura onde ele está localizado. Quem escolhe um apartamento desse tipo com cobertura para ter seus animais, por exemplo, pode ter que investir mais.

O valor do apartamento leva em consideração as mesmas variáveis de um apartamento em um prédio padrão, como:

  • metragem;
  • localização;
  • m² da região;
  • número de quartos normais e com suíte;
  • se tem garagem e o nº de vagas disponíveis etc.

Mas se existe uma estrutura, mesmo que mínima, para o prédio funcionar, por que se fala então em apartamento sem condomínio?

Na prática, realmente não existe uma taxa fixa para a manutenção do condomínio, já que pela proposta de uma infraestrutura reduzida, os custos são bem menores.

Porém é importante destacar que há sim custos para manter o prédio funcionando e cumprindo as normas de segurança necessárias.

Esses custos estão associados a manutenção das áreas comuns do prédio como:

  • corredores;
  • garagens;
  • portões;
  • luzes de emergência;
  • sensores e extintores de incêndio;
  • gastos periódicos com a manutenção;
  • uso de água ou luz para limpeza das áreas comuns.

Ou seja, são cortadas todos os extras comuns em condomínios de grande porte como: piscina, sala de jogos, playground, cinema, campo de futebol, área gourmet etc.

No lugar, passa a existir um condomínio pequeno, com apenas o necessário para funcionar, onde os moradores fazem uma “vaquinha” mensal para cobrir os gastos, sendo o valor já pré-determinado.

Então o apartamento sem condomínio é, na verdade, um apartamento com condomínio reduzido ao máximo. Os donos de imóveis como esse abrem mão de uma infraestrutura grande para morar em um lugar com despesas mais enxutas. O que pode ser uma mão na roda nas finanças da família.

Quem prefere o lazer fora e o um ambiente caseiro mais tranquilo pode se beneficiar da compra de um apartamento sem condomínio.

Mas como toda história tem dois lados, vamos entender a seguir o que é a taxa de condomínio, porque pagamos por ela e onde esse dinheiro é investido.

O que é taxa de condomínio?

Uma taxa de condomínio é sua contribuição para os custos de serviços adicionais que estão inclusos, além do benefício de ocupar sua casa.

As taxas de condomínio podem incluir o fornecimento de segurança (incluindo entrada de porta e CCTV), limpeza, aquecimento e iluminação em áreas comuns, bem como manutenção de terrenos e outros serviços.

Os detalhes de suas taxas de condomínio serão confirmados anualmente em uma carta de notificação feito pelo síndico que é quem controla o recebimento e uso desse dinheiro.

A taxa de condomínio deve ser justa ​​e os serviços prestados devem ser realizados com o melhor padrão de qualidade. Você só é cobrado pelos serviços que são para benefício comum na taxa de condomínio.

Por que pagamos taxa de condomínio?

Como vimos acima, o apartamento sem condomínio, apesar de ter uma infraestrutura reduzida, ainda assim, gera gastos de manutenção para os moradores.

E a taxa de condomínio existe exatamente para isso: manter a estrutura dos espaços comuns de um condomínio funcionando regularmente, com conforto e segurança.

E na hora de comprar um apartamento, você vai procurar os imóveis que se encaixam no padrão que você busca, certo?

Portanto, se o seu objetivo é morar em um lugar que ofereça tudo que você precisa em termos de estrutura e serviços, o valor do seu condomínio será proporcional a esse “luxo”.

Empreendimentos da Tecnisa como o Timelife e o Line, por exemplo, oferecem serviços no sistema pay-per-use. Ou seja, você tem acesso a vários serviços sem sair de casa e paga apenas quando usar. É possível chamar serviços como: faxina, pet, eventos e monitoria infantil, personal trainer, reparos e manutenção, dentre outros

Já quem busca por apartamentos padrão, por exemplo, e não fazem questão de ter uma infraestrutura tão grande, pode se interessar pelos apartamentos sem condomínio.

Além de piscina, sala de jogos, playground, cinema campo de futebol, área gourmet, os condomínios maiores possuem serviços de limpeza, segurança e portaria. Todos esses serviços são terceirizados e, consequentemente, são custos para os moradores.

Um dos benefícios de apartamentos em condomínios maiores são as áreas para as crianças – playground, piscina, campos de esporte – que tranquiliza muito a vida dos pais. Ter um espaço seguro dentro de casa para brincar ajuda bastante na rotina.

No condomínio Flex Santana, também da Tecnisa, as famílias têm acesso a piscina infantil, brinquedoteca, playground e quadra gramada. Um espaço de lazer completo para os casais com filhos que prezam pelo lazer em casa, sem precisar de grandes deslocamentos.

Por isso, avalie com atenção antes de comprar um apartamento. Visite o imóvel, se possível, ou conheça o espaço decorado da construtora para ver se aquele imóvel acolherá bem sua família.

Calculando as taxas de condomínio

A taxa de condomínio que você paga depende de onde você mora e do custo real dos serviços que você recebe.

Todos os anos, a administração do prédio junto com o síndico avalia quanto se espera gastar na prestação de serviços ao condomínio. Isto é baseado em uma estimativa de custos que inclui inflação e resulta nos custos cobrados de cada morador.

Estes custos são então repartidos (divididos) por:

  • os clientes que recebem o serviço, ou;
  • pelo número de propriedades em cada bloco de apartamentos, ou;
  • pelo número total de propriedades dentro do condomínio.

Assim é possível acompanhar todos os custos de serviço para garantir que eles forneçam boa relação custo-benefício e para garantir que a taxa de condomínio permaneça o mais precisa possível.

Procurando um imóvel para comprar? Entenda vantagens de um bairro planejado e porque eles são sinônimos de qualidade de vida.

Taxas de serviço fixas e variáveis

Seu contrato de locação ou compra confirmará se sua taxa de serviços do condomínio é fixa ou variável.

Taxa fixa de serviço: essa cobrança é fixada no início do ano, com base em uma estimativa do custo dos serviços.

Se o custo real do serviço no final do ano for maior ou menor do que a estimativa, a cobrança não poderá ser alterada. No entanto, a cobrança pode ser alterada no ano seguinte para garantir que o custo total do serviço seja recuperado.

Taxa de serviço variável: essa cobrança pode variar e é definida no início do ano, com base em uma estimativa do custo do serviços.

Ao contrário de uma taxa de serviço fixa, se o custo do serviço aumenta ou diminui, a cobrança pode ser alterada de acordo para garantir que os moradores paguem o custo real do serviço.

Nestes casos, os excedentes/défices serão tratados de acordo com o estatuto do condomínio.

Agora que você sabe como funcionam os apartamentos sem condomínio pode escolher a melhor opção para morar com a sua família.

Acesse o site da Tecnisa e conheça nossos empreendimentos em diversas cidades do Brasil.

Tem dúvidas no processo de compra de imóvel? Leia nosso Guia de Compras com todas as informações que você precisa, como tipos de financiamento, uso do FGTS, compra de imóvel na planta, documentações e muito mais.