TECNISA é capa no Meio&Mensagem sobre estratégia de marketing no setor imobiliário

O setor imobiliário deixou de ser o patinho feio da economia nacional impulsionado pelo crescimento economico no País. O auge desta onda foi em 2010, quando só na grande São Paulo o mercado movimentou R$ 20 bilhões. Mas, com o número alucinante de novos empreendimentos, somado aumento dos custos e à falta de mão de… Ver artigo

19 de março de 2012

O setor imobiliário deixou de ser o patinho feio da economia nacional impulsionado pelo crescimento economico no País. O auge desta onda foi em 2010, quando só na grande São Paulo o mercado movimentou R$ 20 bilhões. Mas, com o número alucinante de novos empreendimentos, somado aumento dos custos e à falta de mão de obra, causou um apagão.

Para o diretor de internet e ambientes digitais da TECNISA, Romeo Busarello, são 3 os motivos para ampliar as verbas de marketing: concorrência acirrada, pré disposição das empresas em negociar e a dificuldade em convencer o cliente.

“O investimento continuará crescendo. As empresas estão dando importância, desde o jornal até o online. O mercado sempre investiu em marketing de produto e pouco em institucional. A marca passa a ter valor. A localização era o grande drive decisório. Mas o consumidor está dando mais importância à marca.”

Segundo a Secovi-SP, 2012 será um ano positivo para o mercado imobiliário, projetando perspectivas favoráveis com previsão de crescimento de 30% do crédito habitacional com recursos da poupança e 3,5% do PIB, além da manutenção do pleno emprego e o crescimento da massa salarial.