Energias renováveis em canteiro de obra

Com a preocupação de reduzir sua pegada ecológica, a Tecnisa implantou seu primeiro sistema de aquecimento solar para canteiros de obra, no empreendimento Acqua Play, em Santos. A intenção é reduzir o consumo de energia elétrica, propiciar banhos de maior conforto aos trabalhadores da obra, ter a possibilidade de aprimorar o desempenho em instalações provisórias… Ver artigo

7 de fevereiro de 2011
Com a preocupação de reduzir sua pegada ecológica, a Tecnisa implantou seu primeiro sistema de aquecimento solar para canteiros de obra, no empreendimento Acqua Play, em Santos. A intenção é reduzir o consumo de energia elétrica, propiciar banhos de maior conforto aos trabalhadores da obra, ter a possibilidade de aprimorar o desempenho em instalações provisórias e gerar economia financeira para a empresa.
O projeto desenvolvido pelo Departamento de Desenvolvimento Tecnológico (DDT), com apoio dos engenheiros Omar e José Roberto é similar a um sistema de aquecimento solar tradicional utilizado em imóveis. O intuito do DDT é, através do monitoramento do sistema e de experimentações, chegar a soluções mais racionais, alcançando um sistema de baixo custo com desempenho satisfatório.
Para o sistema já em uso, foi estimado um retorno financeiro em dois anos de utilização. Se o sistema for implantado em todos os canteiros de obra, estima-se uma economia potencial de R$ 100.000,00 e uma redução de 50 toneladas na emissão de CO2 ao ano. Com a futura racionalização e aprimoramento dos equipamentos, é provável que o retorno financeiro seja ainda mais rápido.

placas_2011_02_07

Com a preocupação de reduzir sua pegada ecológica, a Tecnisa implantou seu primeiro sistema de aquecimento solar para canteiros de obra, no empreendimento Acqua Play, em Santos. A intenção é reduzir o consumo de energia elétrica, propiciar banhos de maior conforto aos trabalhadores da obra, ter a possibilidade de aprimorar o desempenho em instalações provisórias e gerar economia financeira para a empresa.

O projeto desenvolvido pelo Departamento de Desenvolvimento Tecnológico (DDT), com apoio dos engenheiros Omar e José Roberto é similar a um sistema de aquecimento solar tradicional utilizado em imóveis. O intuito do DDT é, através do monitoramento do sistema e de experimentações, chegar a soluções mais racionais, alcançando um sistema de baixo custo com desempenho satisfatório.

Para o sistema já em uso, foi estimado um retorno financeiro em dois anos de utilização. Se o sistema for implantado em todos os canteiros de obra, estima-se uma economia potencial de R$ 100.000,00 e uma redução de 50 toneladas na emissão de CO2 ao ano. Com a futura racionalização e aprimoramento dos equipamentos, é provável que o retorno financeiro seja ainda mais rápido.

placas_medicao_2011_02_07