Economia compartilhada é colocada em xeque na pandemia

Enquanto diversos setores buscam se reerguer dos efeitos da pandemia da covid-19, uma dúvida fundamental tem afligido empresas e investidores: como fica a cultura do compartilhamento, uma tendência que surgiu com força nesta década entre os jovens e vinha ditando as principais tendências nos negócios?

16 de julho de 2020

Para a construtora Tecnisa, os consumidores vão querer mais espaço nos apartamentos, mas, com as limitações de orçamento, as áreas compartilhadas ainda serão valorizadas.

A empresa tem adicionado aos empreendimentos espaços colaborativos de trabalho para que os moradores tenham um home office mais estruturado. Para ajudar pequenos empreen­dedores, a construtora criou um espaço para embalar, testar e preparar produtos para envio. “Em vez de fazer uma sauna ou uma biblioteca, vamos construir esse tipo de espaço colaborativo”, diz Romeo Busarello, vice-presidente de marketing e ambientes digitais da Tecnisa.

Para saber mais, acesse a matéria no site da Revista Exame: https://exame.com/revista-exame/economia-compartilhada-e-colocada-em-xeque-na-pandemia/