Como deixar a decoração de sua casa uma verdadeira obra de arte

Designers e arquitetos usaram móveis para testar ideias e lançar tendências. Tais peças estão em museus, mas podem estar na sua casa também.

13 de Maio de 2020

Aparentemente, não há quem diga que não gosta de viver em casas bonitas e arrumadas. Talvez todas as pessoas tenham dentro de si alguma noção de decoração. 

Elas sempre darão um jeito de tornar o local onde moram mais confortável e agradável ao olhar. Só que há aqueles, com mais conhecimento de design e arquitetura, que levam este assunto a um nível mais alto, explorando móveis e outras peças como obras de arte.

Mauricio Arruda

Como funciona o projeto de uma casa?

Em algumas oportunidades, temos a chance de folhear revistas de projetos de casas. Também podemos ir a feiras e mostras do ramo. 

Então, descobrimos como são os trabalhos desenvolvidos por verdadeiros artistas. Os móveis e ambientes que eles criam seguem um estilo, emitem uma mensagem, apresentam efeitos visuais incríveis, e nos levam a sensações e sentimentos não esperados.

Designers e arquitetos possuem um vasto conhecimento teórico e prático que os ajudam a idealizar os espaços de uma maneira mais profunda. Eles são capazes de prever, por exemplo, possíveis desafios quanto a instalação de certos revestimentos e sistemas de iluminação, mudanças estruturais, e combinações de cores e texturas. E estes são assuntos difíceis demais para serem dominados por quem não é do ramo.

Rico Mendonça
Rico Mendonça

Então, quer dizer que para criar lindos ambientes, como aqueles que vemos em revistas e exposições, seria preciso ter diploma de design ou arquitetura? 

Bem, sim e não. É claro que não é preciso passar pelo ensino superior para desenvolver o gosto pela arte ou bom senso. Contudo, o planejamento de certos sistemas e o acompanhamento de obras civis requer autorização técnica.

Agora, é claro que você pode “brincar” com a decoração da sua casa. Nada impede de você tentar pôr em prática várias ideias de pintura em parede, agrupamento de quadros, criação de luminárias e mais. 

Inclusive, é preciso destacar que muitos estudos de casos feitos por designers e arquitetos começam com peças mobiliárias – como banquinhos, poltronas, cadeiras, sofás e outras. E é claro que podemos copiá-los neste caminho.

Inside Arquitetura e Design
Talita Arruda Silva e Arquitetando Ideias

O que faz um móvel ser considerado uma peça de arte?

Você sabia que muitos móveis criados por designer e arquitetos fazem parte de coleções de galerias de importantes museus ao redor do mundo? 

Inclusive, aqui mesmo no Brasil, no estado da Bahia, existe um local chamado MUCA – que é o Museu das Cadeiras Brasileiras. E neste endereço estão expostas peças de profissionais famosos, como os Irmãos Campana.

Mas você deve estar se perguntando qual a importância destes móveis para que sejam comparados a obras de arte. 

Bem, exemplares como a Cadeira Vermelha e Azul, de Gerrit Rietveld, ou a Poltrona Barcelona, de Mies Van der Rohe e Lilly Reich, são incomparáveis. Seriam peças de estudos criadas por artistas como forma de testar  as suas ideias no plano material, e de propor novos estilos e tendências para o mercado.

 “A cadeira tem um papel icônico na profissão do designer, especialmente por transitar com muita fluidez entre a usabilidade e a possibilidade de ser um ícone peculiar, transformando o ambiente em que está inserida.” – designer Zanini de Zanine, em reportagem de ArchDaily.

É claro que estes móveis não foram idealizadas para serem expostos em museus. A ideia dos projetistas era mesmo solucionar questões reais. 

Contudo, de quebra, também conseguiram a entender novas fases pelo qual a história das artes passava. Foi o que aconteceu no período Pós-Guerra, quando muitos profissionais começaram a questionar se não poderiam fazer móveis bonitos, mas mais simples e funcionais.

Mauricio Arruda

Como caprichar nas decoração com móveis de design artístico?

Quando vamos mobiliar uma casa pela primeira vez, costumamos comprar vários itens de uma vez só – muitas vezes do mesmo fabricante. E, neste momento, acabamos colocando em primeiro lugar a funcionalidade, deixando a estética um pouco de lado. 

Só que, com o tempo, sentimos a necessidade de personalizar os ambientes. E é neste momento que podemos investir em móveis e outros elementos de um design mais especiais.

Existem muitos objetos que poderiam enriquecer um conjunto decorado, alegrando-o e tornando-o mais interessante. 

Certos móveis podem, de cara, se tornarem pontos focais importantes nas propostas – seja por sua forma, cor, textura, brilho e mais. E não podemos deixar de falar também das luminárias, esculturas e mais – destacados nos cenários em grande parte pelo sistema de iluminação ambiente.

Marlon Gama e Studio Marcio Michaluá
Rico Mendonça
Anna Maya & Anderson Schussler e Camarina Studio Design de Interiores

Muitos móveis-arte, como os citados no tópico anterior, ganharam as suas versões de mercado e podem ser, agora, facilmente adquiridos nas lojas. 

Tanto valor, tanto estético quanto histórico, fazem com que estes móveis não passem despercebidos nas decorações. Inclusive, eles devem receber uma posição importante no layout dos ambientes.

Díptico Design de Interiores

Dê uma olhada nos elementos que se destacam nos cenários que mostramos – sobretudo alguns móveis, como poltronas, mesas de centro, mesas de jantar e outros. Inspire-se neles e crie algo bem especial para a sua casa.

Essas dicas de decoração com móveis de arte foram criadas pela equipe Viva Decora.